Neymar

Passou a mão no cabelo de pena, sentiu as plumas na palma da mão.

Era o galo que corria na ponta do campo, figura feroz, só que não.

Ciscava, ciscava, passando o milho nos dedos, na ponta da chuteira nos pés.

Caia no chão. A torcida queria uma águia, uma ave de rapina, um falcão.

Neymar queria também e no querer se perdia, saia pela linha de fundo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s