Agradecimento de um corintiano ao Santos Futebol Clube

Em 14 de abril de 1912, no mesmo dia em que o Titanic afundou, nasceu o Santos Futebol Clube, uma das instituições mais emblemáticas do futebol mundial. Inúmeros monstros desfilaram seu futebol com a camisa do Peixe. Só isso já seria motivo para parabenizar o alvinegro praiano.

Mas, além de parabenizar, devo agradecer ao clube da Vila Belmiro por um simples motivo: se o Santos não existisse, eu não seria torcedor do Corinthians, muito menos gostaria de futebol.

Explica-se: quando criança, eu pouco me interessava pelo esporte. Até que, sem saber o motivo, comecei a gostar e acompanhar com meu melhor amigo todas as partidas possíveis. Ainda sem escolher um time, confesso que papai tentou me fazer santista de toda e qualquer maneira. Tentava me corromper falando do time que assombrou o Brasil e o mundo entre o final dos anos 50 e o final dos anos 60. Falava dos deuses que vestiram uma das camisas brancas mais bonitas do mundo. Contava que até o poderoso Milan e o Benfica sucumbiram diante do esquadrão comandado por Pelé. Não me convenceu. Preferi, por inúmeras questões, escolher o Corinthians como meu time de coração. Mesmo defendendo times diferentes, tudo que aprendi no futebol foi ensinado pelo Seu Carlos Ribeiro. Absolutamente tudo.

Bom, na visão dele, talvez eu não tenha aprendido a escolher time para torcer. Porém, mesmo corintiano, sempre mantive um carinho especial pelo Santos. Lembro-me claramente de inúmeros jogos nas tardes de sábado, em que sentava ao seu lado para assistir Guga, Almir, Giovanni, Robert, Camanducaia, Alessandro Cambalhota, Edinho, Darci, Ranielli, Fábio Costa, Rincón, Renato, Claudiomiro, Argel, Gallo, Robinho, Diego, Neymar e tantos outros bons (e outros nem tanto) jogadores. Eram tardes extremamente divertidas.

Acompanhamos desde o incômodo jejum, até a época da volta das grandes conquistas. Fosse na TV ou no rádio, era garantia de muita diversão, emoção e aprendizado. Não, eu não sou torcedor do Santos. Mas ali, ao lado dele, a cada jogo que assistia eu me sentia como aquela criança inocente que o acompanhava em todas as decisões. Em todos os noventa minutos Vila Belmiro, eu era parte da torcida.

Ainda nutro um carinho grande pelo clube. Sempre penso mais um pouco em quem me ensinou a gostar de futebol. Confesso também que as vitórias do Peixe me deixam um pouco mais feliz. Afinal, em algum lugar por aí, Seu Carlos também está. Por essas e por outras, deixo aqui meu agradecimento especial a Pelé, que tanto nos humilhou. Agradeço a Pepe, o Canhão da Vila. Obrigado, aliás, por ajudar a colocar o nome da minha amada Limeira no mapa do futebol. Agradeço a Gylmar dos Santos Neves, um dos poucos que agradou nossas duas torcidas. Agradeço a Clodoaldo, Zito, Mauro, Dorval, Mengálvio, Coutinho, Dalmo, Almir Pernambuquinho, Carlos Alberto, e tantos outros que durante anos encantaram os olhos de Seu Carlos e dos torcedores santistas. Parabéns, Santos Futebol Clube. E obrigado. Talvez, sem sua existência, eu não saberia o que é o futebol.

Anúncios

3 comentários sobre “Agradecimento de um corintiano ao Santos Futebol Clube

  1. Até um corinthiano consciente reconhece a grandeza do Santos. Belas palavras desse corintiano que verdadeiramente sabe que no templo do futebol desfilaram grandes craques. Parabéns santao. Da lhe Santos ! ! !

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s