Tupãzinho é maior que Guerrero ou 25 anos do Brasileiro de 1990

O dia 16 de dezembro é gigante para o torcedor do Corinthians. Em 1990, o clube conquistou o Campeonato Brasileiro pela primeira vez. Vinte e dois anos depois, conquistou o Mundial de Clubes ao bater o Chelsea no Japão.

Ambos os títulos tiveram finais parecidas: vieram com uma vitória pelo placar mínimo, em partidas difíceis, que coroaram dois personagens: Tupãzinho e Guerrero.

Tanto o atacante brasileiro quanto o peruano entraram de vez na historia do clube de Parque São Jorge. Ambos se tornaram nomes marcantes. Com uma sutil diferença: Paolo Guerrero é grande. Tupãzinho é GIGANTE.

É claro que uma conquista de nível mundial merece todos os méritos. Que aquele jogo contra o Chelsea foi grandioso e que o tento da partida merece, e vai ser relembrado até o fim da vida de todos os torcedores que o presenciaram.

Acontece que em 2012 as coisas eram absurdamente diferentes do que eram em 1990. Se a pressão pelo título no Japão era grande, imagine a pressão pelo inédito título nacional conquistado 25 anos atrás. Imagine como foi pegar buchas do naipe de Bahia, Atlético Mineiro e São Paulo com um time que era regido por Neto, e completo por dez carregadores de piano (ainda que esses carregadores de piano também tenham marcado época no clube). Imagine como era enfrentar equipes tarimbadas, em uma época onde praticamente todos os times eram MORALIZADORES e contavam com jogadores de renome e respeito no plantel.

Não, não estou desmerecendo o autor do gol no Japão. Muito menos falando que Tupãzinho era melhor que ele. Até mesmo porque MAIOR é muito diferente de MELHOR.

Acontece que o time de 1990 cavou seu lugar ao sol na base da foice, do suor e do sangue. Em 2012, havia muito mais investimento, a história era otura. Ambas as conquistas foram difíceis. Ambos os títulos foram suados. Porém, 1990 não foi apenas suado. Foi surpreendente. Foi marcante.

Tupãzinho é maior que Guerrero. Conseguiu marcar seu nome na historia do clube em uma época de grandes dificuldades.

Tupãzinho é mais icônico que Guerrero. Conseguiu com uma marca de pouco mais de 50 gols gravar seu nome na historia do clube.

Tupãzinho é mais ídolo que Guerrero. Sempre fez questão de honrar a camisa. Nunca reclamou por passar a maior parte do tempo na reserva.

Tupãzinho é mais predestinado que Guerrero. Não é a toa que é lembrado carinhosamente pelos torcedores do Corinthians como Talismã. Era a arma fatal para momentos de dificuldade

Tupãzinho é mais MORALIZADOR que Guerrero. Nunca precisou de nada além dos seus mullets, sua fala tranquila, e seu um metro e pouco para alegrar a torcida.

Que todos aproveitem esse relato para a discussão começar.

Feliz 2016, pessoal ! Com muito sangue no olho, e que a luta pelo FUTEBOL VERDADE continue !

por Mateus Ribeiro

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s