No Morumbi: Raí 2 x 0 Maradona

O sol tentava raiar entre as nuvens naquele 27 de março de 1993. O Morumbi, naquele dia, receberia em campo ninguém menos que Diego Armando Maradona, máximo ídolo do futebol argentino, além de outros personagens portenhos de alto calibre, como o técnico Carlos “El Narigón Bilardo” e o recém-contratado Diego Simeone, que havia custado centenas de milhões de pesetas (chupa, Euro) aos cofres do Sevilla.

O clube espanhol seria adversário do São Paulo em partida amistosa que marcaria o último ano antes de Raí partir para a França, além de prolongar a imensa ressaca do título mundial de 92. Um belo jogo para receber as faixas.

Com mais de 50 mil pessoas no estádio, o Sevilla entrou como alvo de um touro. O uniforme, todo rubro, contrastava com o tradicional fardamento branco do tricolor. Era um festivo sábado, com bandeirões, faixas, pernil na porta do estádio, chuteiras pretas e declarações antes do jogo que faziam sentido. Ao ser questionado pelos repórteres sobre a expectativa para a partida, Maradona disse: “espero que as pessoas se divirtam”. Um exemplo de chumbo em cima destes jogadores mimados, que jogam para si e suas respectivas mídias sociais, DVDs e empresários.

A canhota de Maradona estava afiada e chegou a carimbar a trave esquerda de Zetti. Mas a tarde era de Raí, que marcou de carrinho após lançamento de Palhinha e, no segundo tempo, fechou o placar ao bater um pênalti forte, sem firula, no canto direito do goleiro Unzué.

No fim da partida, Maradona foi cumprimentar outro grande mito tricolor: Telê Santana, a quem desejou “muchas felicidades”.

E as escalações? Que saudade: 

São Paulo: Zetti; Vitor, Adílson, Ronaldão e Ronaldo Luís; Pintado, Dinho, Cafu e Raí; Palhinha e Catê. Técnico: Telê Santana.

Sevilla: Unzué; Martagón, Diego, Marcos e Jimenéz; Del Campo, Rafa Paz, Conte Crespo e Simeone; Maradona e Bango. Técnico: Carlos Bilardo.

No vídeo acima, a narração é do grande e ainda ativo Jota Jr., com complemento de reportagem de Roberto Thomé.

No futebol, os melhores momentos tinham uma coisa em comum: eram todos simples.

#RIPFutebol

Por Rodolfo Araújo

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s