Manifesto ao futebol “moderno”

Um texto sobre a luta diária travada por nós, amantes do futebol como ele era (e deveria ser até hoje). Espero que se sintam representados!

“Nós não gostamos. Temos mais preocupação por ver nossos filhos em quadras fechadas de grama sintética do que arrancando o dedão no meio da rua jogando golzinho.

Nós não gostamos. Não gostamos de ver crianças de dez anos com suas chuteiras enfeitadas, tentando imitar os feitos de Ibrahimovic, e comemorando gols feito Cristiano Ronaldo.

Nós lutaremos. Lutaremos até o fim para que as nossas crianças aprendam que futebol é mais bola e menos firula.

crianc3a7aNós também temos receios e fraquezas. Receio de ver crianças com as camisas do Chelsea e do  Real Madrid, mas que não sabem nem o nome do time da  cidade.

Nós não gostamos. Não gostamos de ver pequenos boleiros formando seu caráter de torcedor através de estatísticas supérfluas, que transformam um David Luiz em um Beckenbauer.

bugre

Nós lutaremos. Lutaremos até o fim para que um dia os jovens admirem o Guarani de 1978 ao invés do Bayern de 2013.

Nós não gostamos. Definitivamente não gostamos de jovens que tentam uma carreira dentro dos gramados apenas pelos benefícios e holofotes fora das quatro linhas.

Nós lutaremos. Lutaremos até o fim contra jogador que quer saber apenas do telão no gramado.

rocha

Contra a imprensa bestial que cria um craque por  dia .

Nós não gostamos. Não gostamos de bajulação em cima de quem saiu  do terrão na sexta feira e no domingo se sente o Romário.

Nós lutaremos. Lutaremos até o fim para que um dia todos saibam  que craque é quem realmente é decisivo, quem dá a cara a tapa. E que  bom jogador não é mito,gênio, ou qualquer um destes termos  abomináveis.

Nós tememos a elitização do futebol. Não gostamos das arenas. Não gostamos de um “estádio” projetado para que a emoção seja domesticada.

FUTEBOL - ROMÁRIO - ESPORTES - ACERVO - Os jogadores Romário(C), atrás, do Flamengo; e Edmundo, do Vasco, e o árbitro Wágner Tardelli se cumprimentam antes da partida válida pela final da Taça Rio de 1999 - Estádio Mário Filho(Maracanã) - Rio de Janeiro - RJ - Brasil - 06/06/1999 - Foto: Sérgio Borges/Agência O Globo/Gazeta Press

Nós lutaremos. Lutaremos até o fim para que a arquibancada de cimento seja o lugar de realização dos cultos domingo a tarde.

Nós temos pavor. Pavor por acabarem com o canto das torcidas.

Nós não gostamos. Não gostamos da eterna perseguição da imprensa, do Ministério Público e dos órgãos de segurança . Não gostamos do julgamento precipitado que tenta fazer o torcedor apaixonado virar bandido.

Nós lutaremos. Lutaremos até o fim pela festa do povo.

Nós não gostamos. Não gostamos do ingresso com preço lá em cima.

maraca

Nós lutaremos. Lutaremos até o fim por mais vendedores de amendoim e  menos opções food truck.

Nós lutaremos até o fim por você. Por todos nós. Avante, RIP!

LUTAREMOS ATÉ O FIM PELO FUTEBOL.”

por Mateus Ribeiro(texto original)

Anúncios

4 comentários sobre “Manifesto ao futebol “moderno”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s