RIP Bicuda

Os tempos mudaram, e como. A época das chuteiras pretas e clássicas se foi e nos acostumamos a assistir PARTIDAS DE FUTEBOL com jogadores (produtos de marketing) vestidos de chuteiras rosas, lilás, amarelas, laranjas, azuis, de diamantes, ouro ou penas.

A sensação de humilhação é, no mínimo, imensa. Nos tempos de outrora, tínhamos também um futebol muito menos “emperequetado”. Os recursos dos jogadores eram outros, consigo lembrar aqui de pelo menos 3 deles muito mal utilizados hoje em dia: o carrinho por trás, tesoura e entrada de sola. Hoje vemos aquele carrinho “xôxo” do coitado do David Luiz e acreditamos que aquilo é um carrinho bem dado, só porque ele comemora o desarme. Ridículo.

Passando para o campo de ataque, nos deparamos com os considerados lances geniais como o TOQUE DE LETRA, que qualquer Gabigol e Negueba fazem. Banalizaram o elástico, todo jogo alguém TENTA executar tal “dibre”, que foi criado por nada mais nada menos que o mestre Riva.

Pensando nisso me deparei com uma assustadora realidade: jogador moderno é o que sabe jogar em todas as posições do campo, é aquele que ataca e defende com a mesma frequência e intensidade, mas não sabe chutar de BICO! O famoso e muito utilizado na infância, quando portávamos aquela Kichute maravilhosa! Os goleirinhos ficavam apavorados quando estavam agarrando e vinha aquela “bicuda”! Quem foi goleiro sabe pelos dedos quebrados pela bola de futebol de salão (futsal é só para os fracos).

Nosso rei Romário ( porque rei só existe um…) foi um grande mestre quando o assunto era bico de chuteira. Quantos gols vocês se lembra dele fazendo nesta forma magistral? Bilhões, com certeza. O Ronaldo Gordo fez alguns também e todo mundo lembra daquele contra a Turquia, que foi um frango sem vergonha do goleirão!

bico

 

Depois desses, ninguém mais nunca tentou, usou tal artimanha, não me venha falar no gol do Oscar, o Emboaba, em um dos vexames da Copa do Mundo aqui no Brasil contra a Croácia.

Hoje em dia a moda é fazer pose, pra tudo. Para chutar então parece que fizeram um curso de atuação com o Wolf Maia: mãozinha de lado, carinha de mal e a bola lá na arquibancada, ou melhor e mais constante, aquele chutinho mascado, sem vergonha, de um cara que ganha milhões por ano e faz “unicoeexclusivamente” isso desde que nasceu, ou seja, é a sua única responsabilidade!

Que acabaram com o futebol, todos nós sabemos. Mas acabar com uma herança secular que todos vivem na infância já é demais. Por mais ensinamentos na base sobre como chutar de bico. Por mais cara feia. Por mais tesouras. Por mais sangue. Por mais Kichute!

por Henrique Ruiz Vasconcelos

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s