Gringo no futebol brasileiro só jogava do meio para trás

Você acha normal quando chega o inicio da temporada e seu time está procurando um atacante do Libertad que se destacou na última Sul Americana ou um meia argentino que enviou um DVD repleto de jogadas incríveis?

Se você acha, você é um pamonha.

Antes do futebol acabar, jogador estrangeiro só vinha para o Brasil e virava ídolo se jogasse do meio campo para trás.

O cara não vinha para resolver, vinha para compor. Os papeis de matador ou cérebro do time (leia-se “as posições mais nobres”) sempre ficaram a cargo de um nativo.

Don Dario Pereyra

Os gringos que se consagraram aqui nesta época brilhante do futebol brasileiro eram fabulosos.

Porque, se não fossem, não se consagrariam no verdadeiro futebol brasileiro.

Chiqui Arce dominou a lateral direita de Palmeiras e Grêmio por 7 anos ganhando praticamente tudo o que disputou.

Gamarra foi considerado o melhor zagueiro do Brasil nos idos de 98. Passou 82.461.287.641.236 minutos sem cometer uma falta sequer e mais 214.142 minutos sem levar um cartão amarelo e é ídolo no Corinthians até hoje.

Dario Pereyra outro zagueirão bi-campeão brasileiro pelo São Paulo em 77 e 86 arranca suspiros de saudades até hoje em qualquer sãopaulino apaixonado.

Rodolfo Rodriguez goleiraço dos anos 80 era referência debaixo das traves. Ganhou até placa na Vila Belmiro.

Chiqui Arce

A lista continua com “Gato” Fernandéz, Freddy Rincón, Figueroa, Hugo de León… nós gostávamos disso. (As exceções que jogavam na frente, tipo Aristizábal, eram apenas isso, exceções).

Mas era simpático ter um paraguaio na lateral direita, um uruguaio na zaga, um colombiano de volante, um argentino… longe daqui, etc.

Pois desde a morte do futebol, ocorreu um êxodo destes estrangeiros (os bons e os que só jogam no DVD) para as posições mais nobres.

Pense na camisa 10 do Palmeiras. Camisa usada por Ademir da Guia, Rivaldo, Djalminha, Alex. Em qual destes times do Palestra antes do futebol morrer Valdivia teria chance? Nem no Palmeiras B.

Freddy Rincon

Ou a camisa 9 do Grêmio que já foi de Jardel (o gênio da grande área que disse que clássico é clássico e vice-versa e que sente a naftalina subir quando o jogo está a mil) hoje é usada por um argentino esforçado e com jeito de pirata, mas que não se compara com nosso heroi matador, o Jardelão.

E o que deve pensar um dos maiores volantes que este país já viu jogar, Paulo Roberto Falcão, ao ver o chileno Charles Aranguiz ser considerado uma das estrelas do elenco atual do Internacional?

O Botafogo, coitado, que já teve Jairzinho, Túlio Maravilha, Mané Garrincha, viu seu último ataque decente ser formado por Loco Abreu e Herrera (uruguaio e argentino, respectivamente).

Ainda temos de engolir que Marcelo Moreno, Guerrero, Conca e D’alessandro são craques…

Não que estes jogadores sejam pernetas. Atualmente são o que temos de melhor por aqui.

Mas só o são porque nossos gramados viraram cemitérios.

#RIPfutebol

por Fredão “Freada” Badue

Gioino, “atacante” do Palmeiras, tentando, sem sucesso, matar uma pelota (em 2004, logo após a morte do futebol)
Anúncios

3 comentários sobre “Gringo no futebol brasileiro só jogava do meio para trás

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s