Donizete, um pantera abençoado por Zé do Caixão

No tempo em que jogador de futebol era rebatizado nas águas sagradas dos campos encharcados, Osmar Donizete Cândido virou Pantera.

Após conseguir a proeza de se sagrar vice-campeão paulista pelo São José e brilhar no Botafogo e no México, ele foi parar no Japão.

Na volta ao (ex)País do Futebol, em 1997, aterrissou no Parque São Jorge para a disputa do Paulistão, onde se reencontrou com Túlio, seu velho parceiro do Fogão campeão brasileiro.

Destaque da campanha do título corintiano (que incluiu um 8×2 contra o Guarani e um 5×2 contra o então campeão Palmeiras), o mineiro Donizete era figurinha fácil na imprensa esportiva.

Em uma matéria que foi ao ar naquele ano no Tá Na Área, do SporTV, Donizete é sabatinado por um fã peculiar, o corintiano Zé do Caixão. Ao fim do quadro, o ilustre torcedor tem uma visão premonitória: Donizete marcando gol na final da Libertadores de 98 e levantando a taça envolto no manto alvinegro.

Com um fim de ano melancólico em 1997, o Corinthians — quase rebaixado no Brasileirão — acabou bem longe da Libertadores de 1998.

A premonição do Zé do Caixão haveria de cair na vala do esquecimento e da bizarrice junto com todas as suas famosas maldições (“Você! Você! E toodos vocêis!”).

Mas aí todos viram que Zé do Caixão escreve certo por linhas tortas.

Após jogar uma única partida pelo Cruzeiro (aquela escrotinha final do Mundial contra o Borussia), Donizete desembarcou em São Januário no começo de 98 para, junto com Luisão, formar a dupla de ataque cruz-maltina na Libertadores.

Eis que, com gols do Pantera nos jogos de ida e de volta da final contra o Barcelona de Guayaquil, o Vasco conquistou a América, e na volta olímpica (que não saiu do círculo central) estava tudo lá, como o mestre do terror previra: arquibancadas de cimento e alambrados abarrotados de torcedores e Donizete, o predestinado Pantera, envolto no manto alvinegro, erguendo a Taça.

#RIPfutebol

por Gabriel “Gabbo” Gabriel

Anúncios

Um comentário sobre “Donizete, um pantera abençoado por Zé do Caixão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s