O dia do último jogo do futebol brasileiro

Infelizmente, levaram tão a sério a história do mata-mata que o outrora antídoto para as tristezas humanas converteu-se em veneno. Morria ali, em uma perversa redundância, o futebol.

Provavelmente, os deuses da UEFA, FIFA, do desinteresse e monotonia adulteraram o copo d’água de sua cabeceira enquanto repousavam felizes, com a sensação de dever cumprido, após um dia tão especial.

Assassinos.

Era dezembro, mês derradeiro do ano de 2002, ano em que a Seleção levantou sua última copa. Dia 15. Crepúsculo de jogo, torcida brasileira.

Último Brasileirão antes da adoção dos pontos (es)corridos (ou pontos arrastados). Começaria ali o monopólio dos times “planejados”, “regulares”. Time bom é aquele com adjetivos hiperbólicos, exagerados, sangrados. Não foi Descartes que inventou esse esporte, puta que me pariu.

Foi uma final que celebrou o fim. Corinthians e Santos disputaram uma partida memorável, rabiscada pelas pedaladas faceiras de Robinho, o nó no cérebro e pernas do lateral Rogério, as espalmadas a granel de Fábio Costa e o fôlego inflado da arquibancada alvinegra – metade luto, metade esperança.

Robinho, Deivid, Anderson, Elano e Léo balançaram as redes sem saber que jogavam belas pás de cal sobre o túmulo futebolístico. Dali para frente, essa modalidade virou outra coisa.

Esporte gourmet. Campos de society bem cuidados. Quadras de condomínio. Crianças trajando fardamentos de clubes europeus. PlayStation. Bolas com nome, protocolo antes do início das partidas. Naming rights. Meritocracia, planejamento, comemorações celestiais, música no Fantástico.

Cada um dos jogadores daquele embate deve se orgulhar da sorte que teve ao dizer adeus sem saber. Talvez seja essa a melhor forma de se despedir.

Veja aqui o jornal daquele fatídico 15 de dezembro de 2002.

Anúncios

8 comentários sobre “O dia do último jogo do futebol brasileiro

  1. Esse foi o ano em que ganhamos nossa última Copa. Não tem mais futebol por aqui, muito menos estrelas novas na camisa amarelinha.

    Curtir

  2. Quem gosta dos “pontos corridos”, em sua grande parte, NUNCA foi jogador profissional! Sequer jogou numa Base!!!

    Futebol é planejamento com certeza! Mas futebol também vive da emoção das jogadas, do torcedor!!!!

    As últimas edições do Campeonato Brasileiro estão mostrando que o torcedor brasileiro não aguenta mais esta fórmula que só dá certo na Europa!!!

    Brasileiro tem uma cultura diferente! Aqui, a rivalidade local é muito forte! Até pelas dimensões continentais do nosso país! Aqui, não temos províncias e nem distritos. Aqui, temos estados-membros e dentro de cada estado, municípios. Até pela Federação, que sugere isto! O Brasil é uma República Federativa! Logo, os entes federativos estarão organizados da forma que estão.

    O Campeonato Brasileiro, a cada ano, tem se tornado mais chato!!!! Um campeonato medíocre, sem graça e que faz com que o torcedor não tenha muito entusiasmo pelos jogos! Claro que a culpa não está somente na fórmula de disputa, mas ela também influencia um pouco.

    Neste sistema atual, está acontecendo algo que é uma verdadeira inversão de valores: A briga contra o rebaixamento está mais “emocionante”, do que a conquista do título de campeão!

    Isto é uma afronta ao futebol! Não se pode admitir que a “parte de baixo” da tabela leve “emoção” até a última rodada! Não podemos admitir que a “briga” do Vasco contra o rebaixamento, seja mais “emocionante” do que o título do Corinthians!

    Os defensores desta fórmula de disputa sempre vêm com os mesmos argumentos: O time que se planejar melhor, alcançará o resultado esperado! Mas no meio do torcedor, àqueles que não prezam pelo planejamento são os que mais “empolgam”! Que contra-senso é este?

    Estes mesmos defensores dizem que é muito ruim para o futebol, que um time que se classifique em 8° entre na segunda fase e chegue à final e termina sendo o campeão!

    Mas futebol é isso aí: É resolvido nos pequenos detalhes! Futebol é inexato, ilógico! Nem sempre o melhor vence! E a emoção do jogo está nisso!!!!!

    Obviamente, futebol requer planejamento! Pois se não houver, fatalmente, a equipe não irá muito longe e poderá se endividar.

    Mas o futebol é emoção! Mexe com o sentimento das pessoas! Futebol, em certos momentos, é até “terapêutico”, pois ele tem o poder de mexer com a auto-estima da pessoa.

    Os “pontos corridos” mudaram a forma do jogo! Eles promovem o “futebol de resultado”, ou seja, o que importa é somar os três pontos, jogando “feio” ou dando espetáculo!

    Este tipo de jogo não combina com as características do nosso futebol! Aqui, o futebol é técnico, é do improviso, da “ginga”, da arte do drible! Futebol ofensivo! O time buscando o gol o tempo todo.

    O futebol “de resultado” está associado ao pragmatismo, ao “3-6-1”, aos esquemas táticos defensivos, ao jogo “por uma bola”. Pois se o que importa é vencer, pra que eu vou arriscar? Para eu correr o risco de perder? Então, vou armar uma “retranca” e vou jogar pela “bola parada”! Se o vencer é importante, então “1×0” é “goleada”!!!!

    Isso fez com que os nossos atletas perdessem sua essência! Desde quando a fórmula de disputa mudou, venho notado que estamos jogando um futebol cada vez mais “europeu”! Temos jogado um futebol tático, sem brilho, um futebol pragmático e previsível.

    Dificilmente, vemos times jogando o verdadeiro futebol brasileiro!!!! O Santos do Brasileiro de 2002, só reapareceu no “Paulista” de 2010, com a 2ª geração de “meninos da vila”, liderados por Ganso e Neymar!

    Nestes 8 (oito) anos, não vi nenhuma equipe brasileira dando espetáculo! Pelo contrário, o que vi foram anos de um futebol chato e depressivo.

    Agora, no “mata-mata”, era diferente!!! As equipes se lançavam ao ataque! Não ficavam com o medo de errar, pois a lógica do jogo era a seguinte: Se eu tomar um gol, tenho que fazer dois! Então, vamos atacar!

    Vemos isso o tempo todo na Copa do Brasil! Geralmente, os jogos da Copa do Brasil, sobretudo, na fase eliminatória, são muito mais emocionantes, do que qualquer jogo do Brasileiro!!!

    E outra: Como eu já disse, o “mata-mata” traz um elemento que é próprio do futebol: A surpresa! Quem não se lembra do Santo André sendo Campeão sobre o Flamengo, em 2004, em pleno Maracanã? Quem não se lembra – no Brasileiro de 85 -, da final entre Bangu e Coritiba? Será que só os clubes de torcida merecem títulos? Será que o futebol só deve ser para eles? Claro que não! Futebol é para todos! O futebol não permite acepções!!!!

    Obviamente, a equipe que não investir em elencos fortes e consistentes, terá muitas dificuldades, seja qual for a fórmula de disputa! Se assim não fosse, não teríamos rebaixamentos no “mata-mata”, como tínhamos até o Brasileiro de 2002 (a última edição desta fórmula)!!!!

    Eu só acho que este imbróglio chamado de “pontos corridos” já deu!!! Ele ajudou a “assassinar” o futebol brasileiro!!!!!

    Campeonato bom é àquele que tem Final!!! Que mexe com duas torcidas e quem ficar desatento, perde! Até porque, futebol é atenção, concentração!!! E para o torcedor: Emoção!!!!

    Antes que alguém me critique: Mexo com futebol! Sou profissional do ramo e falo baseado no que vejo, nestes anos mexendo com isso aqui!!! Basta entrar no meu perfil e ver!!!!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s