Por que Hernane poderia ter brocado no passado

É certo que o futebol morreu. Isso já se sabe.

Mas às vezes, como um messias que retorna no 7º dia, ele volta a dar as caras num cantinho do campo qualquer.

No caso do Flamengo em 2013, esse cantinho de campo era a banheira. E o messias era Brocador.

Hernane vestia a camisa 9, vermelha e preta, sem saber do sentido que aquilo levava.

E em toques lindos, de tão feios, fazia o gol.

Porque o peso do gol era tão pouco pra ele.

Era um toque na bola pra resolver a pelada naquele estádio tão grande, o Mário Filho.

O tamanho da camisa que usava, talvez só tenha levantado suspeitas em seu retorno de férias a Bom Jesus da Lapa, sua cidade natal, depois de virar artilheiro no estádio que ergueram em cima do nosso Maracanã.

5.000 pessoas lotaram o Estádio Municipal Benjamim Farah para acompanhar o Jogo das Estrelas, promovido anualmente pela estrela na cidade.

Com transmissão das rádios de Lapa, Paratinga, Ibotirama, Serra do Ramalho, Caetité, Guanambi e Brumado.

HERNANE em casa

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s